quarta-feira, setembro 4

Lista com o nome de todos os Papas


































1) São Pedro (33 a 67)
2) São Lino (67 a 76)
3) Santo Anacleto (76 a 88)
4) São Clemente I (88 a 97)
5) Santo Evaristo (97 a 105)
6) Santo Alexandre I (105 a 115)
7) São Sisto I (115 a 125)
8) São Telésforo (125 a 136)
9) Santo Higino (136 a 140)
10) São Pio I (140 a 154)
11) Santo Aniceto (155 a 166)
12) São Sotero (166 a 174)
13) Santo Eleutério (174 a 189)
14) São Vitor I (189 a 199)
15) São Zeferino (199 a 217)
16) São Calisto I (217 a 222)
17) Santo Urbano I (222 a 230)
18) São Ponciano (230 a 235)
19) Santo Antero (235 a 236)
20) São Fabiano (236 a 250)
21) São Cornélio (251 a 253)
22) São Lúcio I (253 a 254)
23) Santo Estevão I (254 a 257)
24) São Sisto II (257 a 258)
25) São Dionísio (259 a 268)
26) São Félix I (269 a 274)
27) Santo Eutiquiano (275 a 283)
28) São Caio (283 a 296)
29) São Marcelino (296 a 304)
30) São Marcelo I (308 a 309)
31) Santo Eusébio (309 a 310)
32) São Melquíades (311 a 314)
33) São Silvestre I (314 a 335)
34) São Marcos (336)
35) São Júlio I (337 a 352)
36) Libério (352 a 366)
37) São Dâmaso I (366 a 384)
38) São Sirício (384 a 399)
39) Santo Anastácio I (399 a 401)
40) Santo Inocêncio I (401 a 417)
41) São Zósimo (417 a 418)
42) São Bonifácio I (418 a 422)
43) São Celestino I (422 a 432)
44) São Sisto III (432 a 440)
45) São Leão Magno (440 a 461)
46) Santo Hilário (461 a 468)
47) São Simplício (468 a 483)
48) São Félix III (II) (493 a 492)
49) São Galásio I (492 a 496)
50) Anastácio II (496 a 498)
51) São Símaco (498 a 514)
52) São Hormisdas (514 a 523)
53) São João I (523 a 526)
54) São Félix IV (III) (526 a 530)
55) Bonifácio II (530 a 532)
56) João II (533 a 535)
57) Santo Agapito I (535 a 536)
58) São Silvério (536 a 537)
59) Vigílio (537 a 555)
60) Pelágio I (556 a 561)
61) João III (561 a 574)
62) Bento I (575 a 579)
63) Pelágio II (579 a 590)
64) São Gregório I (590 a 604)
65) Sabiniano (604 a 607)
66) Bonifácio III (607 a 608)
67) São Bonifácio IV (608 a 615)
68) São Adeodato I (615 a 618)
69) Bonifácio V (619 a 625)
70) Honório I (625 a 638)
71) Severino (640)
72) João IV (640 a 642)
73) Teodoro I (642 a 649)
74) São Martinho I (649 a 655)
75) Santo Eugênio I (655 a 657)
76) São Vitaliano (657 a 672)
77) Adeodato II (672 a 676)
78) Dono (676 a 678)
79) Santo Ágato (678 a 681)
80) São Leão II (682 a 683)
81) São Bento II (684 a 685)
82) João V (685 a 686)
83) Cônon (686 a 687)
84) São Sérgio I (687 a 701)
85) João VI (701 a 705)
86) João VII (705 a 707)
87) Sisínio (707 a 708)
88) Constantino I (708 a 715)
89) São Gregório II (715 a 731)
90) São Gregório III (731 a 741)
91) São Zacarias (741 a 752)
92) Estevão II (752 a 757)
93) São Paulo I (757 a 767)
94) Estevão III (768 a 772)
95) Adriano I (772 a 795)
96) São Leão III (795 a 816)
97) Estevão IV (816 a 817)
98) São Pascoal I (817 a 824)
99) Eugênio II (824 a 827)
100 ) Valentim I (827)
101) Gregório IV (827 a 844)
102) Sério II (844 a 847)
103) São Leão IV (847 a 855)
104) Bento III (855 a 858)
105) São Nicolau I (858 a 867)
106) Adriano II (867 a 872)
107) João VIII (872 a 882)
108) Mariano I (882 a 884)
109) Santo Adriano III (884 a 885)
110) Estevão V (885 a 891)
111) Formoso (891 a 896)
112) Bonifácio VI (896)
113) Estêvão VI (896 a 897)
114) Romano (897)
115) Teodoro II (897)
116) João IX (898 a 900)
117) Bento IV (900 a 903)
118) Leão V (903)
119) Sérgio III (904 a 911)
120) Anastácio III (911 a 913)
121) Lando (913 a 914)
122) João X (914 a 928)
123) Leão VI (928)
124) Estevão VII (929 a 931)
125) João XI (931 a 935)
126) Leão VII (936 a 939)
127) Estêvão VIII (939 a 942)
128) Marino II (942 a 946)
129) Agapito II (946 a 955)
130) João XII (955 a 964)
131) Leão VIII (964 a 965)
132) Bento V (965)
133) João XIII (965 a 972)
134) Bento VI (973 a 974)
135) Bento VII (974 a 983)
136) João XIV (983 a 984)
137) João XV (984 a 996)
138) Gregório V (996 a 999)
139) Silvestre II (999 a 1003)
140) João XVII (1003)
141) João XVIII (1003 a 1009)
142) Sérgio IV (1009 a 1012)
143) Bento VIII (1012 a 1024)
144) João XIX (1024 a 1032)
145) Bento IX (1032 a 1044)
146) Silvestre III (1044)
147) Bento IX (2ª vez) (1045)
148) Gregório VI (1045 a 1046)
149) Clemente II (1046 a 1047)
150) Bento IX (3ª vez) (1047 a 1048)
151) Dâmaso II (1048)
152) São Leão IX (1049 a 1054)
153) Vitor II (1055 a 1057)
154) Estêvão X (1057 a 1059)
155) Nicolau II (1059 a 1061)
156) Alexandre II (1061 a 1073)
157) São Gregório VII (1073 a 1085)
158) Beato Vitor III (1086 a 1087)
159) Beato Urbano II (1088 a 1099)
160) Pascoal II (1099 a 1118)
161) Gelásio II (1118 a 1119)
162) Calisto II (1119 a 1124)
163) Honório II 91124 a 1130)
164) Inocêncio II (1130 a 1143)
165) Celestino II (1143 a 1144)
166) Lúcio II (1144 a 1145)
167) Beato Eugênio III (1145 a 1153)
168) Anastácio IV (1153 a 1154)
169) Adriano IV (1154 a 1159)
170) Alexandre III (1159 a 1181)
171) Lúcio III (1181 a 1185)
172) Urbano III (1185 a 1187)
173) Gregório VIII (1187)
174) Clemente III (1187 a 1191)
175) Celestino III (1191 a 1198)
176) Inocêncio III (1198 a 1216)
177) Honório III (1216 a 1227)
178) Gregório IX (1227 a 1241)
179) Celestino IV (1241)
180) Inocêncio IV (1243 a 1254)
181) Alexandre IV (1254 a 1261)
182) Urbano IV (1261 a 1264)
183) Clemente IV (1265 a 1268)
184) Beato Gregório X (1271 a 1276)
185) Beato Inocêncio V (1276)
186) Adriano V (1276)
187) João XXI (1276 a 1277)
188) Nicolau III (1277 a 1280)
189) Matinho IV (1281 a 1285)
190) Honório IV (1286 a 1287)
191) Nicolau IV (1288 a 1292)
192) São Celestino V (1293 a 1294)
193) Bonifácio VIII (1294 a 1303)
194) Beato Bento XI (1303 a 1304)
195) Clemente V (1305 a 1314)
196) João XXII (1316 a 1334)
197) Bento XII (1334 a 1342)
198) Clemente VI (1342 a 1352)
199) Inocêncio VI (1352 a 1362)
200) Bento Urbano V (1362 a 1370)
201) Gregório XI (1370 a 1378)
202) Urbano VI (1378 a 1389)
203) Bonifácio IX (1389 a 1404)
204) Inocêncio VII (1404 a 1406)
205) Gregório XII (1406 a 1415)
206) Martinho V (1417 a 1431)
207) Eugênio IV (1431 a 1447)
208) Nicolau V (1447 a 1455)
209) Calisto III (1455 a 1458)
210) Pio II (1458 a 1464)
211) Paulo II (1464 a 1471)
212) Sisto IV (1471 a 1484)
213) Inocêncio VIII (1484 a 1492)
214) Alexandre VI (1492 a 1503)
215) Pio III (1503)
216) Júlio II (1503 a 1513)
217) Leão X (1513 a 1521)
218) Adriano VI (1522 a 1523)
219) Clemente VII (1523 a 1534)
220) Paulo III (1534 a 1549)
221) Júlio III (1550 a 1555)
222) Marcelo II (1555)
223) Paulo IV (1555 a 1559)
224) Pio IV (1559 a 1565)
225) São Pio V (1566 a 1572)
226) Gregório XIII (1572 a 1585)
227) Sisto V (1585 a 1590)
228) Urbano VII (1590)
229) Gregório XIV (1590 a 1591)
230) Inocêncio IX (1591)
231) Clemente VIII (1592 a 1605)
232) Leão XI (1605)
233) Paulo V (1605 a 1621)
234) Gregório XV (1621 a 1623)
235) Urbano VIII (1623 a 1644)
236) Inocêncio X (1644 a 1655)
237) Alexandre VII (1655 a 1667)
238) Clemente IX (1667 a 1669)
239) Clemente X (1670 a 1676)
240) Beato Inocêncio XI (1676 a 1689)
241) Alexandre VIII (1689 a 1691)
242) Inocêncio XII (1691 a 1700)
243) Clemente XI (1700 a 1721)
244) Inocêncio XIII (1721 a 1724)
245) Bento XIII (1724 a 1730)
246) Clemente XII (1730 a 1740)
247) Bento XIV (1740 a 1758)
248) Clemente XIII (1758 a 1769)
249) Clemente XIV (1769 a 1774)
250) Pio VI (1775 a 1799)
251) Pio VII (1800 a 1823)
252) Leão XII (1823 a 1829)
253) Pio VIII (1829 a 1830)
254) Gregório XVI (1831 a 1846)
255) Pio IX (1846 a 1878)
256) Leão XIII (1878 a 1903)
257) São Pio X (1903 a 1914)
258) Bento XV (1914 a 1922)
259) Pio XI (1922 a 1939)
260) Pio XII (1939 a 1958)
261) João XXIII (1958 a 1963)
262) Paulo VI (1963 a 1978)
263) João Paulo I (1978)
264) João Paulo II (1978 a 2005)
265) Bento XVI (desde 2005 )
266) Francisco (desde 2013)

sábado, junho 22

Conversão, Brasil - mensagem de dom Walmor


















Conversão, Brasil

21/06/2013


Dom Walmor Oliveira de Azevedo
As manifestações populares destes últimos dias configuram um fenômeno que merece análises e especial atenção da pátria Brasil. Oportunidade para um debruçar-se lúcido sobre todos os aspectos envolvendo o movimento, além das indicações novas daí advindas. À complexidade do fenômeno juntam-se também características incomuns e com largas diferenças em relação a fatos já ocorridos, desta mesma ordem, no âmbito de manifestações populares. Considerável é, particularmente, o grande número de pessoas movidas por uma demanda de protesto, que desafia a interpretação por não tratar-se de uma única questão, uma única razão. Como se diz, uma única bandeira, bem definida e conceitualmente dominável.

 Em questão, há uma série de razões que afeta o conjunto do funcionamento da sociedade brasileira. Certamente, não é um fenômeno que explode como resultado de algumas situações provocadas num último curto período de tempo. Ainda que alguns elementos tenham levado à eclosão das manifestações. O que se tem presenciado é um estouro de algo que obviamente vem sendo formatado, por isso ou por aquilo, e agora se  configura nas manifestações populares, protagonizadas especialmente pelos jovens.  Esta complexidade na análise das manifestações parece se apartar claramente do que se enquadra nos repugnáveis atos de vandalismo e no uso de violência - aproveitamento imoral da ocasião. 

 A análise deve ajudar na explicitação de causas e configurar o necessário em medidas e posturas cidadãs para o momento novo que precisa nascer  deste contexto. O que se vê nas atitudes de protesto pacífico não pode ser confundido ou misturar-se com a nebulosidade de vandalismos que desrespeitam as pessoas e o patrimônio público. Ao contrário, o ser humano e o patrimônio devem ser prezados e defendidos por todos, em qualquer circunstância. 

Inevitáveis são ações disciplinares preventivas e a força que está no entendimento adequado das manifestações para impedir tudo o que poderá desmerecer, ao menos em parte, a importância deste momento para a sociedade brasileira. É, sobremaneira, lamentável ver pessoas feridas e as depredações do patrimônio público gerando prejuízos como sombras emoldurando os que, pacificamente, movidos por paixões e lúcidos por razões justas, expressam exigências e demandas urgentes da sociedade.

Análises e opiniões a respeito da explicitação e do entendimento do fenômeno destas manifestações já estão em crescente oferta. De qualquer modo, especialistas são desafiados a compreender as raízes destes acontecimentos que devem ir além, por exemplo, apenas da modificação das tarifas de ônibus. É preciso alcançar o cerne do que está, de fato, se passando na consciência dos cidadãos. Há muito trabalho de análise socioantropológica, política e cidadã a ser feito. É plausível pensar, particularmente, na necessidade de mudanças e práticas no horizonte de uma sociedade democrática, com vistas à cultura da solidariedade e da paz. Não é difícil concluir, mesmo fruto de uma análise não aprofundada, que as manifestações, distanciadas de aspectos violentos, expressam o anseio por mudanças, como questão central.

Essa aspiração popular aponta na direção da qualificação do processo decisório no sentido de valorizar a participação cidadã, o que exige diálogo com a sociedade. Consequentemente, investir na “escuta” evitaria um processo de funcionamentos e encaminhamentos que ignora necessidades e urgências na vida de todos, particularmente dos mais pobres. Certamente, está em questão o repúdio à cristalização e burocratização de mecanismos governamentais e também nos âmbitos mais comuns da vida da sociedade.
 A lista das questões consideradas na grande bandeira, que é o anseio por mudanças, inclui desde a tarifa de ônibus ao justo questionamento, por exemplo, da PEC 37, abrangendo o exercício da política na sociedade brasileira, particularmente, a partidária. Por isso, também, as manifestações não são motivadas e empurradas pela força que propriamente poderia vir dos partidos políticos ou de outras instâncias institucionais.

As mudanças que parecem ser pretendidas tocam o conjunto da sociedade brasileira. Claramente está se exigindo mais adequação participativa nas decisões e na escolha de prioridades, nos modos de operacionalizar tudo o que é essencial para uma vida digna. Providências urgentes e medidas cabíveis são esperadas por parte dos responsáveis primeiros, incluindo a participação singular de cada cidadão.

Permanecerá pedindo resposta a exigência do diálogo necessário com a sociedade para que sejam sempre ouvidos seus clamores.  É hora propícia, à luz do que ainda vai brotar como indicativos pela interpretação de peritos e do povo, para uma grande conversão no Brasil.

Dom Walmor Oliveira de Azevedo
Arcebispo metropolitano de Belo Horizonte
- See more at: http://www.arquidiocesebh.org.br/site/artigoArcebispo.php#sthash.MwZm8QlA.dpuf

domingo, maio 5

Desejo de ser Intercessor


Eu sou o Renan, conhecido com o Lima da Juventude, e minha caminha começou coordenando grupo de jovens, e intercessor de Ministério de Musica, do qual depois fui pra pregação, etc, ate parar no Ministério Jovem, onde do qual estou hoje.


O Desejo da Intercessão, nada mais e tomarmos posse, dessa vocação e da palavra de Deus, que diz "Tudo posso naquele que me me fortalece.Filipenses 4:13" e intercedermos pelos irmãos,  pelos eventos, pelos nossos coordenadores e representantes.

"O principal foco do Ministério de Intercessão é o Grupo de Oração e tudo o mais que se relaciona com a sua missão. Por isso, o intercessor precisa conhecer a estrutura e o objetivo do Grupo de Oração para que a sua intercessão obtenha pleno êxito."

Muitos perguntam pra ser um intercessor o que e necessário  saber orações prontas, etc, simplesmente não por que o intercessor que se dedicar, as palavras saíram espontaneamente de seus lábios, mais vai dicas.

1º Para ser um intercessor, você deve viver todos os dias , todas as horas e minutos da sua vida, em oração. Te digo meu irmão sem oração, não da pra ser um intercessor.

2º Deve-se rezar o Santo Terço todos os Dias

3º Ler e meditar a PALAVRA todos os dias, poder ser o da liturgia, ou o que abrir em oração, mas medita-las tbm.

4º Apresentar a Deus seu ministério, grupo de oração, comunidade, os familiares e amigos a sua volta, e principalmente aqueles que contam com sua oração e intercessão.

 Ser intercessor é ser uma pessoa de muita oração; pessoas que só das pessoas olharem pra você elas sentiram o amor de Deus, dentro dos seus olhos.

O intercessor anda pronto pra batalha, e o que reza constantemente o terço, anda com ele no bolso, na mão, 

Intercessor: "- Se entregue nos braços de Jesus, não tenha medo, pois é maravilhoso sentir esse amor."
Experimente  !!!

* Toda vez que for rezar por alguém  lembre-se da palavra que citei assim: "Tudo posso naquele que me fortalece.Filipenses 4:13” E tomado posse da unção do espírito santo, que devemos pedir a cada dia mais, você pode ajudar a tal pessoa, ou família  do qual impõe a mão e intercede a mudar de vida.


  • NOVE PASSOS PARA UMA INTERCESSÃO EFICAZ. 

1. Que o coração esteja limpo diante de Deus, depois de ter dado tempo ao Espírito Santo de convencê-lo do pecado ainda não confessado. Sl 65,18: “Se intentasse no coração o mal, não me teria ouvido o Senhor.” 

2. Reconheça que você não pode orar sem a orientação e o poder do Espírito Santo. Rm 8,26: “Outrossim, o Espírito vem em auxílio a nossa fraqueza, porque não sabemos o que devemos pedir, nem orar como convém, mas o Espírito mesmo intercede por nós com gemidos inefáveis.” 

3. Renuncie as próprias idéias, desejos e preocupações por aquilo que se deve orar. Prov. 3,5: “Que teu coração deposite toda confiança no Senhor! Não te firmes em sua própria sabedoria”. Is 55,8: “Pois meus pensamentos não são os vossos, e o vosso modo de agir não são os meus, diz o Senhor”. 

4. Peça a orientação do Espírito Santo, “buscai a plenitude do Espírito” (Ef 5,18 ) e agradeça-o pois “sem fé é impossível agradá-lo” (Heb 11,6). 

5. Louve o Senhor agora, na fé, pelo ministério maravilhoso que Ele lhe concede. 

6. Seja agressivo com o inimigo. Vá contra Ele com o poderoso nome de Jesus e com a “espada do Espírito”, que é a Palavra de Deus. Tg 4,7: “Sede submissos a Deus. Resisti ao demônio e ele fugirá para longe de vós.” 

7. Espere, em silêncio expectante na obediência e na fé, que o Senhor lhe fale. Jo 10,27: “As minhas ovelhas ouvem a minha voz, eu as conheço e elas me seguem”. 

8. Use a Sagrada Escritura para orientação e confirmação. Sl 118,105: “Vossa Palavra é um facho que ilumina meus passos. É uma luz em meu caminho”. 

9. Quando terminarem as intercessões, louve e agradeça ao Senhor pelo que Ele fez lembrando-se de que “tudo é dele, por Ele e para Ele. A Ele a glória pelos séculos.” (Rm 11,36). 

Fortalecei minha alma, preparando-a primeiro, ó Bem de todos os bens! Ó meu Jesus! Em seguida ordenai os meios de fazer eu alguma coisa por vós. Já não há quem suporte receber tanto sem nada pagar. Custe o que custar, Senhor, não permitais que me apresente diante de vós com as mãos tão vazias, pois o prêmio será de acordo com as obras. Eis aqui minha vida, eis aqui minha honra e minha vontade. Tudo já vos dei. Sou vosso. 

Espero que tenham gostado, mais pra frente teremos mais formações, Deus abençoe todos os amigos, leitores e seguidores desse Site/Blog: www.limadajuventudedarcc.blogspot.com.br

Deus seja Luz, um abraço do amigo "Lima da Juventude"


Matéria criada elaborada por Lima da Juventude, e o subtitulo "NOVE PASSOS PARA UMA INTERCESSÃO EFICAZ." foi retira do site : http://www.comshalom.org







quinta-feira, maio 2

"Diga aos membros da Renovação Carismática que eu os amo muito"


altDom Rino Fisichella, presidente do Pontifício Conselho para a Promoção da Nova Evangelização, presidiu ontem a missa que encerrou o segundo dia da 36ª Assembleia Nacional italiana da Renovação Carismática, em Rimini.

Antes da missa, Fisichella transmitiu uma mensagem inesperada, que, literalmente, fez explodir de alegria os quinze mil presentes. Após o sinal da cruz, ele dirigiu a todos a saudação afetuosa do papa Francisco. "Antes de começar esta celebração, eu trago a vocês uma saudação. Esta manhã, antes de sair, eu encontrei o papa Francisco e lhe disse: Santo Padre, vou a Rimini, onde estão reunidos milhares e milhares de fiéis da Renovação Carismática, homens, mulheres, jovens. O papa, com um grande sorriso, me disse: Diga a eles que eu os amo muito. E como se não bastasse, antes de se despedir ele acrescentou: Escute, diga a eles que eu os amo muito porque na Argentina eu era o responsável. E por isso eu os amo muito".

Em sua homilia, Fisichella dedicou palavras de afeto aos participantes do grande encontro, agradecendo-lhes "pela grande obra de nova evangelização que já estão realizando há um longo tempo", mas que "se abre diante do esforço de todos através do Plano Nacional para a Nova Evangelização, que passa a ser a bússola para trabalhar e agir no coração da Igreja".

Em sua pregação breve e concreta, dom Rino focou em seguida no "trabalho" da nova evangelização e na figura de Jesus como "o mestre que nos acompanha e que não nos abandona, num mundo em que tantas vezes o cristão tem que andar na contramão".

Ele também lembrou que Jesus é a "revelação que indica o caminho que Deus sempre planejou para nós". E acrescentou: “A pergunta de Tomás é a nossa pergunta: Senhor, Tu és o caminho, mas como podemos conhecê-lo?".

"O segredo da nossa existência, a realização plena da felicidade, vem quando aceitamos o plano de Deus para nós e o colocamos em prática. Mas nem sempre o que o coração entende chega a uma realização plena e concreta".

Uma "realização", enfatizou o bispo, que só se encontra em Cristo, que nunca nos deixa sozinhos: "Ele é a via para sabermos quem somos, de onde viemos e para onde vamos. Ele nos mostra o objetivo". A nova evangelização, portanto, "nos chama a fazer da fé a nossa certeza, a construir a vida em Jesus Cristo".

O testemunho, por isso, disse o presidente do Pontifício Conselho para a Nova Evangelização, "não pode negligenciar a proclamação da esperança da ressurreição, que contrasta com a tendência da cultura da morte, na qual a falta de Deus remove toda perspectiva e direção futura. Temos que nos tornar peregrinos: o objetivo é Ele, Jesus. É com este objetivo que temos que nos reunir".

Fonte: Zenit


matéria retirada de:

segunda-feira, abril 15

Currículo do Lima da Juventude

Renan Gonçalves Lima

Brasileiro, 28 anos (25/12/85), solteiro

Rua Monlevade 736 Niterói

32672-190 Betim, Minas Gerais - Brasil
cel 55 (31) 8761-1893
renanlima3@yahoo.com.br
http://www.limadajuventudedarcc.blogspot.com
   

     Objetivo
• Busco uma oportunidade em auxiliar de RH ou na área da Informática (Instrutor, manutenção ou vendedor de Hardwares e softwares) ou em área administrativas, para meu crescimento profissional e pessoal. .
     Perfil profissional


  • Busco uma oportunidade de contribuir na área pretendida, que é auxiliar de RH ou em setor da informática, se dedicando a pratica de produzir soluções ágeis e seguras e que esteja apto a cumprir metas e objetivos, enfrentando e vencendo desafios.
  •      Formação
    • Escolaridade
      Ensino Médio (2o. Grau) completo.
    Cursos Complementares                                                                                                  

    • Auxiliar de Recursos Humanos, Senai Cetem Betim (julho/2012) - concluída.                   
    • Departamento de pessoal, Fundação CDL (setembro/2010) - concluída.                   
    • Windows XP, Fundação CDL (setembro/2010) - concluída.                                       
    • Operador de telemarketing, Fundação CDL (setembro/2010) - concluída.                     
    • Web designer, Fundação CDL (setembro/2010) - concluída.                                 
    • Broffice, Fundação CDL (setembro/2010) - concluída.                                                 
    • Auxiliar de Escritório, Fundação CDL (setembro/2010) - concluída.                               
    • Introdução ao Linux, Fundação CDL (setembro/2010) - concluída.                              
    • Secretariado, Fundação CDL (setembro/2010) - concluída.                                      
    • Access, Fundação CDL (setembro/2010) - concluída.                                                         
    • A Eficácia das reuniões, Fundação CDL (setembro/2010) - concluída.                            
    • Word, Excel, Power Point, Internet: Navegação e E-mail, Fundação CDL (setembro/2010) - concluída.                                                                                                               
    • Introdução às Praticas Administrativas, Fundação CDL (setembro/2010) - concluída.           
    • Contabilidade para não-Contadores básico, Fundação CDL (setembro/2010) - concluída. 
    • Telefonista Recepcionista, Fundação CDL (setembro/2010) - concluída.                         
    • Praticas de Finanças nas empresas, Fundação CDL (setembro/2010) - concluída.                 
    • Técnicas de Negociação, Fundação CDL (setembro/2010) - concluída.                       
    • Gerindo o Próprio Tempo, Fundação CDL (setembro/2010) - concluída.                       
    • Cidadania, Fundação CDL (setembro/2010) - concluída.                                    
    • Introdução à informática, Fundação CDL (setembro/2010) - concluída.                          
    • Introdução ao Empreendedorismo, Fundação CDL (setembro/2010) - concluída.                   
    • D-Olho na Qualidade: 5S para os pequenos negócios, SEBRAE (setembro/2010) - concluída.  
    • AC - Atendimento ao Cliente, SEBRAE (setembro/2010) - concluída.                               
    • EI - Empreendedor Individual, SEBRAE (setembro/2010) - concluída.                              
    • Montagem e Manutenção de Computadores, CNI Informática (janeiro/2010) - concluída.      
    • Excelência no Trabalho, Rede Cidadã e Sine (setembro/2008) - concluída.                 
    • Programa 5S, Rede Cidadã e Sine (agosto/2008) - concluída.                                       
    • Técnicas Básicas para Segurança no Trabalho, Rede Cidadã (agosto/2008) - concluída.   
    • Competências Básicas Para o Trabalho, Rede Cidadã (junho/2008) - concluída.
         Histórico profissional
    • ARCA - ASSOCIAÇÃO DE REINTEGRACAO CRIANÇA E ADOLESCENTE - de junho/2012 a novembro/2012
      (Empresa de pequeno porte no segmento governo)
      Monitor DesportivoProfessor e secretario de Telecentro.
    • Enarpe Administração e serviços - de setembro/2010 a dezembro/2010
      (Empresa de grande porte no segmento automotivo)
      Auxiliar de ServiçoRebarbamento de peças.
    • Rapidão Cometa Logística e Transporte S/A - de dezembro/2009 a janeiro/2010
      (Empresa de grande porte no segmento transporte e logística)
      Operador de ServiçosServiços de Almoxarifado, Estoque, Transporte De Materiais do Armazém do complexo Vargem Grande, da Fazenda Capitão do Mato em Nova Lima.
         Último salário
      R$ 967,00 em novembro/2012.
         Outros objetivos
    • Região de trabalho
      Preferência pela região de Betim/MG/BR, ou cidades em um raio de até 150 km. 
      Aceita considerar propostas de outras regiões.
         Informações complementares

    • Montagem e Manutenção de Computadores.

    Cargo: Técnico - Csem registro).

    Período: 22/01/2010 a 09/12/2012


    15/4/2013


    sábado, março 30

    Oração da Campanha da Fraternidade 2013 (CNBB)




    Oração oficial da CF 2013
    Tema: Fraternidade e Juventude
    Lema: "Eis-me aqui, envia-me" (Is 6,8)

    Pai santo, vosso Filho Jesus,
    conduzido pelo Espírito
    e obediente à vossa vontade,
    aceitou a cruz como prova de amor à humanidade.

    Convertei-nos e, nos desafios deste mundo,
    tornai-nos missionários
    a serviço da juventude.

    Para anunciar o Evangelho como projeto de vida,
    enviai-nos, Senhor;
    para ser presença geradora de fraternidade,
    enviai-nos, Senhor;
    para ser profetas em tempo de mudança,
    enviai-nos, Senhor;
    para promover a sociedade da não violência,
    enviai-nos, Senhor;
    para salvar a quem perdeu a esperança,
    enviai-nos, Senhor;
    para...


    Fonte: http://www.portalkairos.net/campanhadafraternidade/2013/campanhadafraternidade2013_oracao.asp#ixzz2P2xhaxgd



    sexta-feira, março 29

    A PÁSCOA E SEUS SÍMBOLOS




    O nome páscoa surgiu a partir da palavra hebraica "pessach" ("passagem"), que para os hebreus significava o fim da escravidão e o início da libertação do povo judeu (marcado pela travessia do Mar Vermelho, que se tinha aberto para "abrir passagem" aos filhos de Israel que Moisés ia conduzir para a Terra Prometida).
    Ainda hoje a família judaica se reúne para o "Seder", um jantar especial que é feito em família e dura oito dias. Além do jantar há leituras nas sinagogas.
    Para os cristãos, a Páscoa é a passagem de Jesus Cristo da morte para a vida: a Ressurreição. A passagem de Deus entre nós e a nossa passagem para Deus. É considerada a festa das festas, a solenidade das solenidades, e não se celebra dignamente senão na alegria [2] .
    Em tempos antigos, no hemisfério norte, a celebração da páscoa era marcada com o fim do inverno e o início da primavera. Tempo em que animais e plantas aparecem novamente. Os pastores e camponeses presenteavam-se uns aos outros com ovos.

                      OVOS DE PÁSCOA


     De todos os símbolos, o ovo de páscoa é o mais esperado pelas crianças.
    Nas culturas pagãs, o ovo trazia a idéia de começo de vida. Os povos costumavam presentear os amigos com ovos, desejando-lhes boa sorte. Os chineses já costumavam distribuir ovos coloridos entre amigos, na primavera, como referência à renovação da vida.


    Existem muitas lendas sobre os ovos. A mais conhecida é a dos persas: eles acreditavam que a terra havia caído de um ovo gigante e, por este motivo, os ovos tornaram-se sagrados.


    Os cristãos primitivos do oriente foram os primeiros a dar ovos coloridos na Páscoa simbolizando a ressurreição, o nascimento para uma nova vida. Nos países da Europa costumava-se escrever mensagens e datas nos ovos e doá-los aos amigos. Em outros, como na Alemanha, o costume era presentear as crianças. Na Armênia decoravam ovos ocos com figuras de Jesus, Nossa Senhora e outras figuras religiosas.
    Pintar ovos com cores da primavera, para celebrar a páscoa, foi adotado pelos cristãos, nos século XVIII. A igreja doava aos fiéis os ovos bentos.


    A substituição dos ovos cozidos e pintados por ovos de chocolate, pode ser justificada pela proibição do consumo de carne animal, por alguns cristãos, no período da quaresma.


    A versão mais aceita é a de que o surgimento da indústria do chocolate, em 1830, na Inglaterra, fez o consumo de ovos de chocolate aumentar.



                                             COELHO
    O coelho é um mamífero roedor que passa boa parte do tempo comendo. Ele tem pêlo bem fofinho e se alimenta de cenouras e vegetais. O coelho precisa mastigar bem os alimentos, para evitar que seus dentes cresçam sem parar. 

    Por sua grande fecundidade, o coelho tornou-se o símbolo mais popular da Páscoa. É que ele simboliza a Igreja que, pelo poder de cristo, é fecunda em sua missão de propagar a palavra de Deus a todos os povos.

     CORDEIRO


    O cordeiro é o símbolo mais antigo da Páscoa, é o símbolo da aliança feita entre deus e o povo judeu na páscoa da antiga lei. No Antigo Testamento, a Páscoa era celebrada com os pães ázimos (sem fermento) e com o sacrifício de um cordeiro como recordação do grande feito de Deus em prol de seu povo: a libertação da escravidão do Egito. Assim o povo de Israel celebrava a libertação e a aliança de Deus com seu povo. 

    Moisés, escolhido por Deus para libertar o povo judeu da escravidão dos faraós, comemorou a passagem para a liberdade, imolando um cordeiro.

    Para os cristãos, o cordeiro é o próprio Jesus, Cordeiro de Deus, que foi sacrificado na cruz pelos nossos pecados, e cujo sangue nos redimiu: "morrendo, destruiu nossa morte, e ressuscitando, restituiu-nos a vida". É a nova Aliança de Deus realizada por Seu Filho, agora não só com um povo, mas com todos os povos.

      CÍRIO PASCAL


    É uma grande vela que se acende na igreja, no sábado de aleluia. Significa que "Cristo é a luz dos povos".

    Nesta vela, estão gravadas as letras do alfabeto grego"alfa" e "ômega", que quer dizer: Deus é princípio e fim. Os algarismos do ano também são gravados no Círio Pascal.

    O Círio Pascal simboliza o Cristo que ressurgiu das trevas para iluminar o nosso caminho.


                                                     GIRASSOL
    O girassol é uma flor de cor amarela, formada por muitas pétalas, de tamanho geralmente grande. Tem esse nome porque está sempre voltado para o sol.

    O girassol, como símbolo da páscoa, representa a busca da luz que é Cristo Jesus e, assim como ele segue o astrorei, os cristãos buscam em Cristo o caminho, a verdade e a vida.

                                                
    PÃO E VINHO


    O pão e o vinho, sobretudo na antiguidade, foram a comida e bebida mais comum para muitos povos. Cristo ao instituir a Eucaristia se serviu dos alimentos mais comuns para simbolizar sua presença constante entre e nas pessoas de boa vontade. Assim, o pão e o vinho simbolizam essa aliança eterna do Criador com a sua criatura e sua presença no meio de nós.
    Jesus já sabia que seria perseguido, preso e pregado numa cruz. Então, combinou com dois de seus amigos (discípulos), para prepararem a festa da páscoa num lugar seguro.
    Quando tudo estava pronto, Jesus e os outros discípulos chegaram para juntos celebrarem a ceia da páscoa. Esta foi a Última Ceia de Jesus.


    A instituição da Eucaristia foi feita por Jesus na Última Ceia, quando ofereceu o pão e o vinho aos seus discípulos dizendo: "Tomai e comei, este é o meu corpo... Este é o meu sangue...". O Senhor "instituiu o sacrifício eucarístico do seu Corpo e do seu Sangue para perpetuar assim o Sacrifício da Cruz ao longo dos séculos, até que volte, confiando deste modo à sua amada Esposa, a Igreja, o memorial da sua morte e ressurreição: sacramento de piedade, sinal de unidade, vínculo de caridade, banquete pascal, em que se come Cristo, em que a alma se cumula de graça e nos é dado um penhor da glória futura" [3].
    A páscoa judaica lembra a passagem dos judeus pelo mar vermelho, em busca da liberdade.
    Hoje, comemoramos a páscoa lembrando a jornada de Jesus: vida, morte e ressurreição.



    COLOMBA PASCAL

    O bolo em forma de "pomba da paz" significa a vinda do Espírito Santo. Diz a lenda que a tradição surgiu na vila de Pavia (norte da Itália), onde um confeiteiro teria presenteado o rei lombardo Albuíno com a guloseima. O soberano, por sua vez, teria poupado a cidade de uma cruel invasão graças ao agrado.


                                         SINO
    Muitas igrejas possuem sinos que ficam suspensos em torres e tocam para anunciar as celebrações.
    O sino é um símbolo da páscoa. No domingo de páscoa, tocando festivo, os sinos anunciam com alegria a celebração da ressurreição de cristo.


                                       QUARESMA

    Os 40 dias que precedem a Semana Santa são dedicados à preparação para a celebração. Na tradição judaica, havia 40 dias de resguardo do corpo em relação aos excessos, para rememorar os 40 anos passados no deserto.


                                 ÓLEOS SANTOS
    Na antiguidade os lutadores e guerreiros se untavam com óleos, pois acreditavam que essas substâncias lhes davam forças. Para nós cristãos, os óleos simbolizam o Espírito Santo, aquele que nos dá força e energia para vivermos o evangelho de Jesus Cristo.

    quarta-feira, março 13

    O novo papa - HABEMUS PAPAM: FRANCISCO I


    Cardeal arcebispo de Buenos Aires, Jorge Mario Bergoglio, de 76 anos

    13/03/2013
    Fonte: Rádio Vaticana
    HABEMUS PAPAM: FRANCISCO I
    É o cardeal Jorge Bergoglio o novo Papa, escolhido pelos cardeais eleitores para suceder a Bento XVI, que renunciou ao ministério petrino. Francisco foi o nome adotado. É o primeiro Papa latino -americano e não europeu da história. 76 anos. 

    A eleição ocorreu à quinta votação, na sequência da primeira que teve lugar ontem, terça-feira, dia do início do Conclave e das quatro votações desta quarta-feira. Ao contrário do que muitos pensavam, tratou-se, também desta vez, de um Conclave breve, apenas com mais uma votação do que aquele que teve lugar há 8 anos e que levou ao pontificado o cardeal alemão Joseph Ratzinger, Bento XVI, para suceder a João Paulo II. Mesma duração também na eleição do cardeal Eugénio Pacelli, Pio XII. 

    terça-feira, fevereiro 19

    2013 - Ano da Fé - MUSICA TEMA DA RCC 2013



    A Nossa Fé
    Creio em Jesus, eu nasci de Deus
    E saibam todos que eu amo meu Senhor
    Guardo sua lei, eu vou até o fim
    E saibam todos que eu amor meu Senhor, na na na na na
    Eu venço o mundo, eu sou de Deus
    A minha vida só tem sentido se está em Jesus
    E esta é a vitória, que vence o mundo
    A nossa fé, a nossa fé, a nossa fé, a nossa fé
    Não negarei, até o martírio eu vou
    E saibam todos que eu amo meu Senhor
    Tomo minha cruz, sim eu serei fiel
    E saibam todos que eu amo meu Senhor, na na na na na